Somos Lince Humanização Corporativa - Lince - Humanização Corporativa

Somos Lince Humanização Corporativa


Mudamos. Nada tão orquestrado como as estações que se sucedem vez após vez, mas ainda assim algo natural por estarmos seguindo nosso curso de pensamento e visão de mundo. O amadurecimento de uma empresa não é tão diferente do de qualquer pessoa. Veja: amadurecer é mais do que tirar a carteira de identidade ou de trânsito. Quem lida bem com o acaso geralmente é visto como alguém amadurecido, inteligente, mas ouso dizer que não é só isso; amadurecer é saber se posicionar e preencher o espaço entre o que se deseja construir e a necessidade. 

Alcançamos um lugar e fomos bem recebidos. Nos escutam falar, apostam no que conhecemos e mais: em nossa convicção. Em tempos de inconstância, onde em que as pessoas são incitadas ao ter para mostrar insistimos que é sendo que somos vistos. Acreditamos na cooperação, na gentileza, na leveza e que para isso tudo é preciso de educação. Educar-se. Conhecer. Amar saber. E fazer algo com isso. Qualquer isso. Porque contribui, gera clima e conexão. Engaja.

Ter a oportunidade de levar isso para pessoas e empresas é resgatar o que esses tantos excessos modernosos (e outros nem tanto) tem a facilidade de acobertar: a humanidade, em sua essência. É o valor máximo que podemos cultivar e preservar, afinal desempenho sem ética, performance sem amor e resultado sem gentileza é mero fazer. É fazer das relações objeto e das pessoas apenas um meio. Acreditamos que reproduzir isso interrompe qualquer tipo de fluxo, esburaca o convívio e torna o trabalhar fonte de doença.

Humanizar cada vez mais as relações vem sendo uma prioridade de organizações atentas às transformações culturais e tecnológicas. A partir delas o jeito de se fazer negócios, liderar pessoas e conviver de modo geral tem sido outro. Não preciso citar aqui os números que atestam picos cada vez maiores de estresse, fadiga, insegurança e ansiedade no mundo corporativo. Humanizar é saber se conduzir em meio a essa realidade que desafia e trabalhar para não se deixar apagar por ela.

Humanizar não é sorrir diante do caos e negar que ele exista. Humanizar envolve um grande fazer, envolve buscar por soluções que conversem com as necessidades de todos que façam parte e abusar da criatividade para usar a tecnologia em favor de uma melhor conexão (e não necessariamente mais) entre as pessoas. O nosso fazer independe das paredes que nos cercam; se da empresa, da casa própria, do apê alugado. Independe da posição que ocupamos, seja líder, funcionário, marido ou filha. Nosso fazer tem a ver com querer e o nosso é pelo resgate, promoção e nutrição do melhor que podemos ser, não para nossos cargos ou superiores, mas uns para os outros.

Obrigado a todos que nos acompanharam até aqui. Pela compreensão e respeito ao nosso amadurecimento. Hoje entendemos melhor quem somos, por vocês e com vocês. Mudamos. Somos Lince Humanização Corporativa.

Thiago Barbosa tem se desenvolvido junto com a Lince nos últimos tempos. Consultor Associado e Redator. @psicologothiagob

Conteúdo relacionado

Lince completa 11 anos

Lince completa 11 anos

08/12/2019

Hoje a Lince completa onze anos de vida!

Amadurecemos muito até aqui. [...]

Leia mais

O que é humanização corporativa?

O que é humanização corporativa?

28/11/2019

Muito tem se falado sobre as atuais estratégias de mercado. A lógica de consumo, a forma [...]

Leia mais

03 dicas valiosas para uma entrevista de trabalho inesquecível

03 dicas valiosas para uma entrevista de trabalho inesquecível

09/10/2019

Todos nós queremos ser lembrados, é natural. A lembrança é uma forma de eternizar algo ou [...]

Leia mais

05 dicas de portais on-line para o seu amadurecimento

05 dicas de portais on-line para o seu amadurecimento

10/01/2020

Vivemos numa era de muito conteudismo. Isso nos dificulta filtrar o que é urgente do que é [...]

Leia mais

A comunicação ainda é a base, acredite

A comunicação ainda é a base, acredite

09/12/2019

Não adianta, aonde formos nossa história irá junto. Pesada ou surpreendente, monótona ou ainda no rascunho. Não tem [...]

Leia mais