Janeiro Branco: 11 atitudes para cuidar da saúde mental

01.01.2021 | Pessoas

Janeiro Branco: 11 atitudes para cuidar da saúde mental

O mês de Janeiro é carregado de simbolismo por representar o início de um novo ciclo e a renovação da esperança. Seu nome é uma homenagem ao deus romano Jano, o deus do começo e da mudança. Não é à toa que, neste período, muitos incentivam a usar o primeiro mês do ano como oportunidade para avaliação de si e da maneira como tem conduzido a vida.

Foi com base nisso que surgiu a campanha Janeiro Branco que tem como objetivo discutir a importância do cuidado com a saúde mental e ensinar pessoas maneiras práticas de fazer isso e usufruir de mais qualidade de vida e felicidade. Então como cuidar da saúde mental? Primeiro é preciso de se entender o que é saúde mental. Após isso, você vai ser as onze atitudes que ajudam a preservá-la. Veja abaixo.

 

Primeiro: o que é saúde mental, afinal?

Como cuidar de algo que você não conhece, não é mesmo? Para saber como cuidar da saúde mental é importante entender o que ela é. A Organização Mundial da Saúde (OMS)  a define como um estado de bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doenças.

Em outros termos, diz respeito a reconhecer capacidades pessoais, lidar com estresses corriqueiros da vida, contribuir com seu trabalho, construir e desfrutar de bons relacionamentos. Ao se defini-la como um “estado”, isto mostra que trata-se de um exercício constante, pois a sociedade está sempre se modificando, o que influencia na maneira de se viver a vida.

Assim, a administração das emoções torna-se a base da saúde mental, já que este conceito de bem-estar não ignora ou nega momentos de estresse ou qualquer tipo de frustração.

Ninguém está isento de ter a saúde mental afetada. As transformações da sociedade e no mercado, crenças limitantes herdadas de familiares e uma cultura voltada para a hiperprodutividade e consumismo fazem com que muitos deixem de lado o bem-estar emocional e psíquico.

 

Como cuidar: 11 atitudes práticas para a saúde mental

Listamos aqui 11 atitudes para ajudar você a cuidar e manter a sua saúde mental. São ações que dizem respeito à uma maior observação da maneira de conviver e lidar com desafios no meio do caminho. Leia cada uma abaixo:

 

1. Pratique um exercício físico que goste

Já é mais que comprovado e fato conhecido que o exercício é um regulador do bem-estar. Diversos estudos apontam o impacto direto das atividades físicas tem no humor, na disposição e até mesmo na memória devido à produção de endorfinas – substância natural produzida no cérebro que regula as emoções.

É importante que a atividade escolhida seja prazerosa e que complemente a rotina, não o contrário.

 

2. Mantenha uma alimentação saudável

Outro conhecimento consumado, uma alimentação saudável é aquela que vai além de matar a fome e “forrar” o estômago. Ela não é feita de forma automatizada e às pressas. Ela nutre.

Uma alimentação saudável não é um prato bonito, mas aquela que inclui os variados nutrientes necessários para manter com a disposição e equilíbrio do corpo. Neste ponto, especialmente se você pratica atividades físicas mais exigentes, o apoio profissional é fundamental.

 

3. Observe as respostas do seu corpo

Nosso corpo é como um mapa que revela todas as nossas aventuras e surpresas – boas e ruins. Quando experimentamos algo realmente prazeroso, seja a companhia de alguém, uma conquista no trabalho ou algo mais simples como uma piada na internet, ficamos energizados.

O mesmo acontece quando vivemos períodos ou momentos de estresse. Insônia, enxaqueca, bruxismo, falta de concentração, alteração no peso, dores musculares, queda no cabelo são sinais claros de que algo não vai bem. Não ignore estes sinais – eles se referem a algo que não vem sendo manifestado em palavras.

4. Cuidado com pessoas tóxicas

Pessoas tóxicas são aquelas que afetam a convivência e a motivação pela via da violência, intimidação ou chantagem. Elas podem ser membros da família, colegas de trabalho, vizinhos. Relacionar-se com pessoas assim tende a afetar a autoestima de um jeito adoecedor e pode desencadear dificuldade de se relacionar com outros, ansiedade e depressão. Para preservar a sua saúde mental, nestes casos procure se manter desperto para não se deixar contagiar ou afetar por comportamentos assim.

 

5. Cuidado com pessoas acomodadas

Da mesma forma com que pessoas tóxicas afetam, as acomodadas também. Pessoas assim não necessariamente tem o caráter duvidoso nem são de má-índole. Porém por algum tipo de dificuldade pessoal são inflexíveis e resistentes a mudanças.

O ser humano tem uma capacidade sem igual de criar para se adaptar.  Pessoas acomodadas são aquelas focadas no problema e não na solução. Por conta disso, afetam a criatividade e motivação de outros para criar. Da mesma forma que com pessoas tóxicas, é preciso se manter desperto, pois a tendência é que esse tipo de convívio gere algum tipo de irritação, fadiga ou desânimo. Casos assim mostram o valor de se exercitar a paciência, o otimismo e foco no que você consegue realizar.

6. Invista em conhecimento e capacitação

Não negligencie seu potencial de aprendizado. A vida é uma escola e ainda assim morremos sem saber de nada, porém isso não é motivo para deixar de lado o seu crescimento. Invista em conhecer outras perspectivas além da sua, tanto do ponto de vista técnico quanto de vida.

Se você é da área da Saúde, busque conhecer mais sobre Arquitetura, Design ou Inteligência Artificial. Se você é da área de Recursos Humanos, busque entender melhor de Economia, Psicologia ou Marketing. Todos esses conhecimentos irão impactar na sua forma de trabalhar e na sua aptidão para tomar decisões mais conscientes.

O bom é que para isso hoje você tem vários recursos à disposição até chegar a cursos mais aprofundados: livros, podcasts, vídeos na internet e cursos EAD. O foco aqui é o seu desenvolvimento pessoal.

 

7. Valorize seus rituais pessoais

Seu descanso e lazer também precisam fazer parte de tudo isso. Seja pequenos rituais como um café da manhã diferenciado, uma caminhada noturna, a atividade física ou passear com o cachorro, estes momentos da rotina ajudam a desintoxicar-se. Valorize-os. Eles tem muita importância na sua rotina.

 

8. Torne seu trabalho edificante

Seja qual for, todo trabalho é mais do que uma mera realização de coisas. Toda tarefa impacta em algo ou alguém, e não se trata de hierarquia de cargos: trata-se de nossa interdependência como pessoas. Os serviços e atividades existem para, de alguma forma, facilitar ou tornar mais funcional o trabalho do outro.

Enxergue essa conexão, mesmo que sutil, entre pessoas, serviços e tarefas e torne o seu trabalho edificante. Isso gera um clima de trabalho mais agradável e destaca sua personalidade.

 

9. Invista no seu propósito

Entenda propósito como o resultado da soma de sua meta de vida aos seus valores pessoais. De nada adianta perseguir certos objetivos passando por cima e desrespeitando pessoas e alguma burocracia. Neste ponto, por investir no seu desenvolvimento pessoal, seu propósito como pessoa irá se tornando cada vez mais claro. Mas lembre-se: é uma construção particular e que envolve lidar com algum tipo de ansiedade ao longo do caminho. O importante é não deixar de investir nisto.

 

10. Doe

Centenas de pesquisas já comprovaram o efeito benéfico da doação para a saúde mental. Doar e compartilhar gera uma série de efeitos bioquímicos no cérebro que promovem o bem-estar assim como atividades físicas.

Muitos enxergam a doação somente do ponto de vista da filantropia e da caridade. Sem dúvidas, é algo realmente digno e uma necessidade social. Porém, a doação de nosso tempo através de conselhos, participação em uma ONG que admire ou o oferecimento de nossos serviços em cortesia para alguém é algo também muito valioso. São formas de doação tão genuínas quanto a doação de bens materiais ou alimentos. Já pensou nisso?

 

11. Busque apoio profissional

E, claro, buscar apoio profissional é o caminho para lidar com desafios maiores. A assistência de um bom especialista é sempre um divisor de águas, pois todo tratamento é uma forma de aprendizado e aprofundamento das próprias capacidades de enfrentamento e superação.

Por isso que, ao contrário do que muitos pensam, ele não é um atestado do fim como se fosse uma sentença. O apoio especializado é o começo da melhora da saúde mental.

Quer ajuda? Clique aqui.